Contas externas têm maior déficit para o mês desde 2015

  • Por Jovem Pan
  • 22/02/2020 09h05
Marcello Casal Jr/Agência BrasilO Governo registrou em janeiro o pior rombo nas contas externas desde 2015

O Governo registrou em janeiro o pior rombo nas contas externas desde 2015. O movimento comercial registrou déficit de US$ 11,8 bi, aumento de 31% na comparação com o mesmo mês de 2019.

O Banco Central coloca que o déficit em transações correntes, um dos principais sobre o setor externo do país, é formado pela balança comercial, comércio entre o Brasil e outros países, serviços adquiridos por brasileiros no exterior e pelas rendas, remessas de juros, lucros e dividendos do Brasil para o exterior.

O BC explica que a piora se deve a balança comercial, com déficit no primeiro mês deste ano, porque as contas de serviços e rendas tiveram pequena melhora. Em 2019, o déficit das contas externas do Brasil subiu 22%, com US$ 50,7% bi de dólares.

Para 2020, a expectativa do Banco Central é de nova piora em em transações correntes, para US$ 57,7 bi. Em relação aos investimentos estrangeiros diretos na economia brasileira, eles somaram US$ 5,6 ponto 6 bi em janeiro, leve queda sobre o mesmo mês de 2019, US$ 5,8 bi, ou seja, os investimentos externos não cobriram o rombo das contas externas no acumulado deste ano, de US$ 11,8 bi.

Em 2019, os investimentos estrangeiros diretos na economia brasileira somaram US$ 78,5 bi, com pequena alta frente ao ano anterior. Para 2020, o Banco Central estima um ingresso de US$ 80 bi.

* Com informações do repórter Marcelo Mattos.