Coreia do Norte pode sofrer sanções internacionais por testes de mísseis

  • Por Jovem Pan
  • 28/08/2019 07h30
EFEImprensa local confirmou que Kim Jong Un esteve presente nos testes

O ministro da Defesa do Japão, Takesi Iwaya, declarou, nesta terça-fera (27), que a Coreia do Norte parece estar desenvolvendo ogivas capazes de ultrapassar o escudo anti-mísseis japonês. O ministro afirma que o último teste balístico norte coreano, realizado no sábado (27), contou com o disparo de dois mísseis de um modelo diferente, ainda não identificado.

No domingo (25), uma agência estatal de notícias da Coreia do Norte informou que o ditador Kim Jong Un supervisionou o teste de um lançador de foguetes de grande porte.

Nesta terça-feira (27), o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) discutiu as ações da Coreia do Norte em uma reunião fechada a pedido de Alemanha, França e Reino Unido.  Os países entenderam que os disparos repetitivos são uma provocação e violam as resoluções do Conselho e, por isso, devem ser punidos com sanções internacionais.

Os disparos realizados no sábado marcam o sétimo dia de testes balísticos do país desde o dia 25 de julho.

Durante encontro com líderes do G7, o presidente norte-americano, Donald Trump, reagiu aos testes norte-coreanos, voltando a dizer que eles não violam nenhum acordo. Apesar disso, o presidente reconheceu pela primeira vez que não está feliz com a sequência de disparos.

Trump mantém uma relação pacífica com o líder Kim Jong Un e, no dia 30 de junho, se tornou o primeiro presidente dos Estados Unidos a pisar no território.

*Com informações do repórter Renan Porto