Coronavírus: Médicos e enfermeiros sofrem com a saúde mental

  • Por Jovem Pan
  • 03/04/2020 06h43 - Atualizado em 03/04/2020 08h26
EFE/EPA/Andrea FasaniCuidar da saúde física e mental dos profissionais que estão na linha de frente ao combate à covid-19 é cuidar da saúde de todos os cidadãos

Não é só por falta de equipamentos de proteção individual que os médicos e enfermeiros que combatem o coronavírus podem adoecer.

Especialistas se preocupam também com a saúde mental de mulheres e homens que estão na linha de frente.

A professora Frida Fischer, da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo critica as extensas jornadas de trabalho e a falta de descanso dos profissionais.

Ela falou sobre o assunto em uma videoconferência promovida pela faculdade nesta quinta-feira (2). “Como que a pessoa que realiza uma jornada tão extensa será capaz de se proteger dos riscos que corre no trabalho?”

Mas os especialistas lembram que a jornada de trabalho extensa e a falta de valorização dos profissionais da saúde sempre existiram.

De acordo com Frida, a pandemia do coronavírus apenas expôs e reforçou esses problemas.

“No momento que todos os olhos se voltam para os profissionais de saúde é repensar na valorização da profissão de fato. Os profissionais da saúde estão dando tudo que podem, inclusive a própria vida.”

Também presente no evento, o infectologista Gerson Salvador avalia que o governo precisa intervir para providenciar os equipamentos de proteção individual aos profissionais da saúde.

“A gente precisa ampliar a oferta e tem que intervir na industria. O poder público tem que chegar na indústria e ampliar a produção.

Como ressaltaram os especialistas, cuidar da saúde física e mental dos profissionais que estão na linha de frente ao combate à covid-19 é cuidar da saúde de todos os cidadãos.

*Com informações da repórter Nicole Fusco