Corpo de última vítima de temporal de domingo é encontrado em Petrópolis

Miriam do Vale Carvalho, de 32 anos, estava desaparecida após ter ido em uma casa com estrutura sob riscos durante o temporal

  • Por Jovem Pan
  • 24/03/2022 11h57
Reprodução/ Twitter inundação em petrópolis Novas inundações em Petrópolis deixaram sete mortos no último domingo, 20

O corpo de última vítima de temporal de domingo, 20, foi encontrado em Petrópolis, no Rio de Janeiro. Miriam do Vale Carvalho, de 32 anos de idade, estava desaparecida desde domingo. Apesar de ela e a família já terem tido se mudado, no dia do temporal ela e o marido, Antônio, decidiram voltar a uma casa de três andares que foi totalmente destruída pela chuva para pegar um colchão. Foi justamente neste momento que as árvores, a lama e a água destruíram a casa amarela. Antônio conseguiu se salvar, mas Miriam não teve a mesma sorte. Nesta quarta-feira, 23, os homens do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil conseguiram encontrar o corpo dela sob os escombros.

Paulo Mendonça, que mora em Petrópolis há anos, disse que há décadas, desde meados do século passado tem assistido a natureza tirar vidas de moradores petropolitanos. “Aparentemente, todo mundo inicialmente diz que vai resolver, mas é só a gente morrendo, a cidade sendo assolada por esses problemas, os petropolitanos entristecidos, sem ter a quem recorrer”, disse. Outra moradora de Petrópolis, Jennifer Stroke, reclama também da passividade das autoridades e até da população, que reage pouco diante da ineficiência dos governos.  “A gente passa pelas ruas, não só agora, mesmo há dois anos atrás, no ano passado, se vê que botam asfalto, mas é uma coisa que daqui a pouquinho vai sair e vão fazer de novo e, a gente consegue ver o que está por trás disso tudo”, criticou.

Nesta quarta, moradores de Petrópolis fizeram um protesto em frente à sede da prefeitura. O alvo principal foi o prefeito Rubens Bomtempo (PSB), que já está no quarto mandato. Os moradores reclamam da inoperância e da ineficiência da gestão dele, dizem que obras precisam ser feitas urgentemente para que chuva não volte a ser sinônimo de tragédia na cidade. Os últimos dois temporais que castigaram a cidade de Petrópolis, um em fevereiro e o do último domingo, vitimaram 241 pessoas. 234 morreram em decorrência da chuva do mês passado e outras 7 em função do temporal do último domingo. O tempo deve continuar firme na cidade, de acordo com a meteorologia até o próximo sábado. Mas, na virada de sábado para domingo, há a previsão da chegada de uma nova frente fria acompanhada de chuva.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga