Corregedoria investiga morte de suspeito baleado pelas costas por PM em Osasco

  • Por Jovem Pan
  • 18/01/2020 09h17
ReproduçãoNo vídeo, é possível ver Alipio correndo com uma arma e atirando nas costas de um homem, que cai no chão assim que é atingido pelo disparo

A Polícia Militar afastou policiais envolvidos na morte de um suspeito de roubar um bar em Osasco, na Grande São Paulo, nesta quinta-feira (17). Um vídeo, gravado por uma testemunha, contradiz a versão apresentada pelos PMs na delegacia.

De acordo com a versão dos dois policiais envolvidos, eles foram acionados para evitar um roubo a um bar. No local, ainda de acordo com os PMs, a equipe abordou Sandro Alves dos Santos e Ivan Alves Tuchler em um Ford Fiesta vermelho.

Tuchler, então, partiu para cima do PM Alípio Pereira Rodrigues com uma arma. Nesse momento, o policial matou o suspeito com dois tiros, alegando ter repelido uma injusta agressão.

No entanto, no vídeo, é possível ver Alipio correndo com uma arma e atirando nas costas de um homem, que cai no chão assim que é atingido pelo disparo. As imagens estão sendo investigadas pela Polícia Civil e pela Corregedoria da Polícia Militar.

Para o professor de Gestão Pública da FGV e membro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Rafael Alcadipani, as imagens mostram excesso por parte dos PMs.

“Afinal, a Polícia Militar possui o Método Girald que indica muito bem quando e não deve se efetuar um disparo e como deve acontecer. Como se vê no vídeo há uma contradição no que diz a Polícia e aquilo que de fato aconteceu.”

A Secretaria da Segurança Pública afirmou que todas as circunstâncias estão sendo apuradas por meio de um Inquérito Policial Militar. Segundo a pasta, foram apreendidos um revólver calibre 38 e uma faca — as armas dos PMs envolvidos serão periciadas.

Ivan Tuchler, de 50 anos, foi socorrido, mas morreu no hospital. Sandro Alves dos Santos, de 48 anos, foi preso em flagrante.

*Com informações do repórter Leonardo Martins