Covas admite desistir de aumentar isenção a templos para passar projeto do perdão de dívidas do IPTU

A Prefeitura sofreu uma derrota na Câmara dos Vereadores na quarta-feira (24)

  • Por Jovem Pan
  • 26/04/2019 07h05 - Atualizado em 26/04/2019 07h06
Roberto Casimiro/Estadão ConteúdoO prefeito de São Paulo, Bruno Covas, disse nesta quinta-feira (25), que pode apresentar alterações no projeto, incluindo o ponto que trata dos templos

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, disse que pode abrir mão do aumento da isenção de tributos de templos religiosos para passar o projeto de lei que prevê perdão de dívidas do IPTU.

A Prefeitura sofreu uma derrota na Câmara dos Vereadores na quarta-feira (24), quando não conseguiu reunir votos suficientes para a segunda votação do texto, que é de autoria do Executivo.

Aprovada em primeiro turno no começo do mês, a proposta permite a remissão da dívida do imposto de imóveis que foram alvo de cobranças indevidas.

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, disse nesta quinta-feira (25), que pode apresentar alterações no projeto, incluindo o ponto que trata dos templos.

O projeto foi elaborado depois que a Prefeitura reconheceu o aumento indevido do IPTU de cerca de 90 mil imóveis neste ano por uma falha do sistema de cálculo.

A administração tinha deixado de corrigir os valores entre 2015 e 2018; com isso, o município abre mão da cobrança de R$ 128 milhões.

*Informações do repórter Tiago Muniz