Covas defende realização de eventos no Pacaembu após concessão, mas nega rediscutir TAC

  • Por Jovem Pan
  • 13/02/2019 10h20
Guilherme Rodrigues/Estadão ConteúdoQuanto ao barulho, Covas lembrou que é possível fazer um isolamento acústico e citou o caso do Allianz Parque, estádio do Palmeiras, que também é usado para shows

O processo de concessão do Estádio do Pacaembu, na zona oeste de São Paulo, continua suspenso pela Justiça desde o início desta semana. A abertura dos envelopes havia ocorrido na última sexta-feira (08) com a vitória do consórcio Patrimônio SP, formado pela empresa de engenharia Progen e do fundo de investimentos Savona, por R$ 111 milhões. Enquanto a concessão não sai, as dúvidas ficam por conta do uso do Pacaembu após um efetivo processo de privatização.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, afirmou que a empresa vencedora poderá fazer modificações para comportar grandes eventos, desde que sem causar prejuízos aos moradores da região. Bruno Covas ressaltou que um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) foi assinado com o Ministério Público para evitar o barulho excessivo no local.

“Se é bom ou ruim, não vamos rediscutir. Se a empresa [vencedora da concessão] conseguir fazer um investimento e se adequar nesses padrões, que ela possa fazer eventos lá. Isso é interessante para a cidade. Quanto mais evento, mais geração de emprego e renda, maior o turismo e mais movimentação de recursos. Exatamente essa a intenção de passar equipamento como aquele para a iniciativa privada, porque a Prefeitura não tem vocação para cuidar de equipamento assim”, disse.

Quanto ao barulho, Covas lembrou que é possível fazer um isolamento acústico e citou o caso do Allianz Parque, estádio do Palmeiras, que também é usado para shows. “Aproveitar melhor o espaço sem causar poluição sonora à população do entorno”, completou.

Sobre as restrições nas mudanças do estádio, Covas lembrou do tombamento do local. “Restrição ali é o tombamento, exceto na área do tobogã, que pode ser mobilizada”, disse o prefeito. “Ele reformado vai ser mais atrativo e não tenho dúvidas de que o nosso Santos continue a jogar ali”, finalizou.

Confira a entrevista completa com o prefeito Bruno Covas: