Covas diz que ações continuarão na Cracolândia, “mesmo com traficantes incomodados”

  • 12/04/2018 10h54
Agência BrasilEm ação na zona leste de São Paulo, o prefeito Bruno Covas (PSDB) disse que a confusão é uma reação às prisões de traficantes que têm acontecido pelas forças de segurança

Uma confusão registrada na noite desta quarta-feira (11) terminou com saques e depredações na região da Cracolândia, no centro de São Paulo. A PM informou que o tumulto começou após uma ação da Guarda Civil Metropolitana, que acompanhava funcionários da prefeitura na limpeza de ruas da região.

Segundo comerciantes, houve confronto entre guardas e usuários, que foram dispersados para ruas ao redor das praças Júlio Prestes e Princesa Isabel.

Em ação na zona leste de São Paulo, o prefeito Bruno Covas (PSDB) disse que a confusão é uma reação às prisões de traficantes que têm acontecido pelas forças de segurança.

“Ações de segurança e assistência social vão continuar para poder acabar, reduzir aquele espaço tão degradado da cidade. Não apenas prendendo traficante, mas ação social. Vamos continuar combatendo a Cracolândia. Mesmo com traficantes incomodados, a Prefeitura vai continuar agindo firmemente”, disse.

Destruição

Os dependentes químicos deixaram uma trilha de destruição: invadiram e saquearam uma loja de sapatos, uma lotérica, um salão de cabeleireiro, e quebraram os vidros de uma agência bancária.

Os usuários também montaram barricadas e fizeram fogueiras na rua Helvétia e na alameda Barão de Piracicaba.

A PM foi chamada para conter o tumulto, e bombas de gás foram lançadas.

Ao menos 15 pessoas foram abordadas para averiguações no local.

O caso foi registrado no 2º DP, no Bom Retiro.

*Informações dos repórteres Ana Flávia Oliveira e Tiago Muniz