Covas rebate críticas sobre SAMU em São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 21/01/2020 06h49 - Atualizado em 21/01/2020 08h08
LEON RODRIGUES/SECOMNova frota de ambulâncias foi apresentada nesta segunda-feira, 20

O prefeito de São Paulo Bruno Covas entregou 24 ambulâncias para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) nesta segunda-feira, 20. As viaturas vão substituir modelos em circulação há mais de cinco anos. 

Covas reconhece que o SAMU na Capital precisa baixar seu tempo de resposta diante dos padrões internacionais.

“Já é um total de 76 na gestão, a ideia é chegar até o fim do ano completando a renovação de 122 ambulâncias, que é o total da frota. Hoje utilizamos algo em torno de 80, estamos contratando mais médicos, mais enfermeiros e técnicos, para poder utilizar as 122. Nós ampliamos a quantidade de bases do SAMU – de 58 para 76, e a expectativa é chegar no fim do ano com um tempo médio de atendimento a casos mais graves de 13 minutos, que é padrão internacional de atendimento.”

No ano passado a prefeitura promoveu mudanças no serviço, que geraram críticas dos profissionais envolvidos. Covas garante que o novo modelo trouxe maior eficiência ao sistema.

“A mudança está em fase de implementação, como toda mudança de administração pública, não é simples, mas foi muito positiva. A gente liberou a parte administrativa para ir pra rua, para poder trabalhar, descentralizou e ampliou os pontos do SAMU.”

Para ampliação do SAMU, a prefeitura de São Paulo pretende contratar 371 profissionais: 88 médicos, 70 enfermeiros, 135 técnicos em enfermagem e 78 motoristas.