Covid-19: Movimento vai criar dois centros de testagem no Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 14/05/2020 06h27
EFE/EPA/RUNGROJ YONGRITAs estruturas, que vão funcionar no Rio de Janeiro e em Fortaleza, serão operadas pela Fiocruz e devem realizar, juntas, 25 mil exames

O movimento Todos pela Saúde, criado há um mês com uma doação de um bilhão de reais para o enfrentamento da pandemia de Covid-19, vai criar dois centros de testagem no Brasil. As estruturas, que vão funcionar no Rio de Janeiro e em Fortaleza, serão operadas pela Fiocruz e devem realizar, juntas, 25 mil exames.

Segundo o administrador do fundo e diretor-geral do Hospital Sírio-Libanês, Paulo Chapchap, o investimento nas duas centrais, é de R$ 150 milhões. O objetivo é que os centros de testagem comecem a funcionar em junho.

A unidade do Rio terá a capacidade de processar 15 mil exames por dia, enquanto o de Fortaleza poderá processar 10 mil testes a cada 24 horas.

De acordo com o presidente do Instituto de Biologia Molecular do Paraná, Pedro Barbosa, a ideia é ajudar a criar uma cadeia nacional de testagem, que está em falta no país.

Os centros de testagem receberam a terceira maior destinação de recursos do fundo, que até o momento já tem quase 80% do montante inicial de R$ 1 bilhão. Entre as despesas estão, por exemplo, a aquisição de 90 milhões de equipamentos de proteção individual, 20 milhões de máscaras de pano e 20 ventiladores mecânicos.

Segundo o ex-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa, Gonzalo Vecina Neto, o foco do Todos pela Saúde é cobrir deficiências da ação do Estado na pandemia, mas é de extrema importância que o governo federal exerça seu papel.

Além dos recursos iniciais, o movimento arrecadou outros R$ 18 milhões junto a empresas e indivíduos em todo o Brasil.

*Com informações da repórter Beatriz Manfredini