CPI das Fake News ganha força na Alesp

  • Por Jovem Pan
  • 10/07/2020 09h46 - Atualizado em 10/07/2020 09h54
Divulgação AlespA Alesp aprovou projeto que multa  de até R$ 5 mil para quem divulgar informação falsa sobre o coronavírus

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Fake News ganha força na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp). O curiosa é que a Comissão foi aprovada no início de 2019 para investigar divulgação de notícias falsas no processo eleitoral do ano anterior, no pedido do deputado Mauro Bragato (PSDB).

Nos bastidores, a base tucana enfileirou vários pedidos de CPI para evitar abertura de uma comissão para investigar a Dersa e suas obras, um desejo da oposição. No entanto, diante do cenário atual, a CPI das Fake News foi instalada na Alesp há duas semanas. Nesta sexta-feira (10), o plano de trabalho e requerimentos serão analisados, explica o deputado Paulo Fiorilo (PT), que pretende ouvir os parlamentares, Alexandre Frota e Joice Hasselmann.

“Qual foi o envolvimento de membros de partidos, de candidaturas, na produção de fake news. Nós temos três sub-relatorias, uma delas eu serei o sub relator, que vai discutir a produção e disseminação de fake news nas eleições. O que nós queremos com a CPI quem pagou, quem financiou, quem fez o material e quem divulgou de forma criminosa casos que ofendem a lei.”

Integrante da base bolsonarista na Alesp, o deputado Tenente Coimbra (PSL) critica o viés político da CPI. “Qual vai ser o foco dentro da fake news? Obviamente ninguém quer ter fake news, todos temos que combater, mas não podemos de forma seletiva dizer aquilo que é fake news ou não por posição política. Por conta isso fui contra o projeto dentro da Assembleia, porque permite ao governador caracterizar, inclusive, algo que ele não goste ou alguma matéria da oposição como fake news.”

O deputado Thiago Auricchio (PL) será sub relator da Comissão Parlamentar de Inquérito. “Há estudos que aproximadamente de quatro a cinco, entre dez brasileiros, já acreditaram em alguma fake news. A gente não pode admitir que no processo democrática, a decisão da eleição venha de uma fake news. A gente tem que dar um basta nesse sentido.”

A Alesp aprovou projeto que multa  de até R$ 5 mil para quem divulgar informação falsa sobre o coronavírus. No entanto, o texto ainda está sob análise para sanção do governador João Doria. A CPI das Fake News terá sessões virtuais na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.

*Com informações da repórter Marcelo Mattos