Criador do projeto Carretas da Saúde, médico Roberto Kikawa é morto em assalto na zona sul de SP

  • Por Jovem Pan
  • 12/11/2018 07h10 - Atualizado em 12/11/2018 08h14
Reprodução/TV GloboDois criminosos armados abordam o médico que acabava de estacionar. A porta do motorista é aberta e os disparos são feitos. Os bandidos fogem em seguida

O médico gastroenterologista Roberto Kunimassa Kikawa, fundador do projeto Carreta da Saúde, ação que leva atendimento médico em unidades móveis a população de baixa renda, foi assassinado a tiros durante tentativa de assalto, neste sábado (10), na Zona Sul de São Paulo.

Imagens de câmeras de segurança mostram que o crime não levou 30 segundos para acontecer, na rua do Manifesto, bairro do Ipiranga.

Dois criminosos armados abordam o médico que acabava de estacionar. A porta do motorista é aberta e os disparos são feitos. Os bandidos fogem em seguida.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, a polícia foi acionada para uma ocorrência de disparo de arma de fogo. No entanto, ao chegarem, encontraram Roberto Kikawa baleado no veículo.

A secretária do médico estava com ele e relatou aos policiais que os homens armados ordenaram que deixassem o veículo. E justamente quando Kikawa estava saindo, foi baleado. O médico também era diretor-executivo do CIES Global (Centro de Integração de Educação e Saúde).

A entidade divulgou nota de pesar lembrando que o projeto Carreta da Saúde foi criado por Kikawa ao cumprir uma “promessa feita ao pai, vítima de um câncer”.

A nota ainda diz que “o juramento consistia que ele fosse um médico mais humano, que olhasse nos olhos das pessoas e as atendesse com a atenção que mereciam”.

Com esse projeto, Roberto Kikawa atingiu a marca de mais de 2 milhões de pacientes do SUS atendidos, além de 600 profissionais das áreas de saúde e administrativa empenhados na ação.

O registro do caso foi feito no 16º Distrito Policial, da Vila Clementino, que prossegue na investigação.

*Informações do repórter Fernando Martins