Crise entre Rússia e Reino Unido continua após caso de envenenamento de ex-espião

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 02/04/2018 09h15
Montagem/Moscow District Military Court e ReproduçãoA filha de Sergei Skripal não corre mais perigo de morte e, segundo os médicos britânicos, o quadro clínico dela tem melhorado consideravelmente nos últimos dias

A crise diplomática entre Rússia e Reino Unido tem ganhado novos contornos a cada dia.

O governo de Moscou insiste em visitar Yulia Skripal, que foi envenenada ao lado do pai quase um mês atrás.

A filha de Sergei Skripal não corre mais perigo de morte e, segundo os médicos britânicos, o quadro clínico dela tem melhorado consideravelmente nos últimos dias. O ex-espião, no entanto, segue em estado grave.

A embaixada russa no Reino Unido tem utilizado as redes sociais com bastante veemência para denunciar o que chama de campanha difamatória dos britânicos contra Moscou.

Já o governo de Londres insiste em buscar mais apoio internacional contra a administração de Vladimir Putin.

Na sexta passada, um avião da companhia aérea russa Aeroflot vindo de Moscou foi revistado pelas autoridades britânicas ao pousar no aeroporto de Heathrow, aqui em Londres.

O episódio foi considerado pelo Kremlin como mais um ato de provocação da primeira-ministra Theresa May. A Rússia ameaça agora fazer o mesmo com as aeronaves da British Airways.

Tudo isso mostra como a tensão entre os dois países continua elevada e pode afetar a vida de cidadão comuns, como de fato continua acontecendo na cidade de Salisbury, onde o envenenamento dos Skripal aconteceu.

Ontem, centenas de pessoas se reuniram na catedral da cidade para a missa do domingo de Páscoa e o desconforto dos moradores ficou evidente com o controle e os cordões de isolamento da polícia que permanecem nos lugares em que o envenenamento pode ter ocorrido.

As autoridades locais afirmam que Salisbury deve voltar a normalidade a partir desta terça-feira (03), mas a crise diplomática entre Moscou e Londres ainda está longe de terminar.