Crise no Chile cancela voos e aéreas são obrigadas a remarcar viagens

  • Por Jovem Pan
  • 22/10/2019 07h14
EFEEm nota, a Anac informou que está acompanhando as operações no Chile e o atendimento adequado aos passageiros

Os passageiros afetados pelos cancelamentos de voos no Chile têm direito a remarcar ou cancelar as viagens sem pagar nada a mais por isso. Desde o final de semana, quem passa pelo Aeroporto Internacional de Santiago, capital do país, enfrenta uma situação caótica, por causa da onda de manifestações.

Pousos e decolagens de várias companhias aéreas estão sendo cancelados e muita gente ficou ilhada no terminal, sem ter para onde ir.

A coordenadora de atendimento e orientação do Procon de São Paulo, Renata Reis, afirma que os passageiros com viagem marcada têm duas opções.

“Eles podem procurar a companhia aérea para optar pela reacomodação em outro voo ou companhia, ou até mesmo optar pelo cancelamento da compra com devolução dos valores pagos.”

No caso do passageiro que ficar preso em algum aeroporto, as companhias também têm obrigações. “Pra atrasos de até 2 horas o consumidor já tem direito a alimentação de forma adequada, dependendo do horário e a partir de 4 horas de cancelamento terá direito a acomodação em hotel e translado, ida e volta.”

Em nota, a Anac, a Agência Nacional de Aviação Civil do Brasil, informou que está acompanhando as operações no Chile e o atendimento aos passageiros.

Os protestos começaram na sexta-feira passada (18), depois de o governo anunciar um reajuste nas tarifas de metrô – que acabou sendo revogado.

O presidente Sebastián Piñera chegou a decretar toque de recolher em algumas cidades, na tentativa de impedir novos atos, mas as manifestações continuaram nesta segunda-feira (21) pelo 4º dia seguido.

*Com informações do repórter Vitor Brown