Crivella já enfrenta na Prefeitura os mesmos efeitos da crise financeira do Estado do RJ

  • Por Jovem Pan
  • 03/08/2017 09h18 - Atualizado em 03/08/2017 10h57
Brasília - Indicado para o cargo de ministro da Pesca e Aquicultura, o senador Marcelo Crivella concede entrevistaCrivella também cogita aumento de impostos e elevação na contribuição previdenciária de servidores ativos e inativos

Crise no Estado é histórica, mas respinga cada vez mais no município do Rio de Janeiro. O prefeito Marcelo Crivella vem encontrando problemas para fechar as contas e manter serviços de qualidade nas mais diversas frentes.

Na terça-feira ele esteve em Brasília para pedir dinheiro ao Ministério da Saúde e voltou com a promessa de R$ 40 milhões, o que não é suficiente para resolver a crise no setor. Profissionais e prestadoras de serviço das Clínicas da Família ameaçam fechar as portas por cortes nos repasses e atraso nos salários.

Crivella chegou a cogitar a possibilidade de fechar 11 clínicas, mas diante da repercussão negativa recuou da ideia. Além disso, o secretário municipal de Saúde pediu licença de dez dias.

O atual prefeito iniciou seu mandato dizendo que seu antecessor, Eduardo Paes, deixou rombo de R$ 2 bilhões. Números contestáveis, de acordo com ex-prefeito e especialistas.

Crivella também cogita aumento de impostos e elevação na contribuição previdenciária de servidores ativos e inativos do município. A cidade também carece de grandes eventos, marca do ex-prefeito.

*Informações do repórter Rodrigo Viga