Em meio à polêmica sobre dados, Ministério da Saúde confirma mais mortes por Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 08/06/2020 06h40 - Atualizado em 08/06/2020 07h59
EDMAR BARROS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOAté o momento, o governo não se posicionou sobre a divergência nas informações e não confirmou quais os dados oficiais registrados no domingo (7)

O Brasil registrou ao menos 525 novas mortes causadas pela Covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com divulgação feita pelo Ministério da Saúde no “Painel Coronavírus” no domingo (7). O aumento, no entanto, pode ser bem maior, já que a pasta, minutos antes, havia informado 1.382 novos óbitos para o mesmo período.

Inicialmente, o ministério da Saúde também havia informado, em divulgação para a imprensa, 12.581 novos casos da doença. Com a atualização do portal, aproximadamente uma hora depois, o número de novos registros subiu, chegando a 18.912 infecções contabilizadas nas últimas 24 horas.

Até o momento, o governo não se posicionou sobre a divergência nas informações e não confirmou quais os dados oficiais registrados no domingo (7). De qualquer forma, considerando os primeiros números divulgados, o país soma 37.312 falecimentos pela Covid-19 e, ao menos, 685.427 casos da doença.

Dados

Uma mudança na forma do ministério da Saúde divulgar os dados sobre a Covid-19 repercutiu negativamente em diferentes instituições. O governo, desde a sexta-feira (5), parou de divulgar os números totais de casos e de mortes causadas pela doença. Além disso, o horário de divulgação passou apara perto das 22h.

Com isso, a Universidade Johns Hopkins chegou a retirar as informações sobre o Brasil, mas retornou horas depois. A mudança do governo brasileiro foi duramente criticada por autoridades e parlamentares.

O Ministério Público Federal instaurou um procedimento para apurar os motivos que levaram o governo a mudar o formato de divulgação dos dados. Por conta disso, o ministro Eduardo Pazuello terá que apresentar informações e documentos relacionados à mudança.

Ainda deste final de semana, o empresário Carlos Wizard desistiu de ocupar um cargo na saúde. Em nota, ele disse que vinha atuando como conselheiro do Ministério da Saúde e que chegou a ser convidado para assumir a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumidos Estratégicos da pasta, mas recusou.

Dois dias antes ele chegou a indicar que o número de óbitos pela Covid-19 fossem recontados, afirmando que haviam dados fantasiosos.

*Com informações do repórter Levy Guimarães