Damares: ‘Não vou deixar o governo, tenho muita coisa pra fazer ainda’

  • Por Jovem Pan
  • 03/05/2019 08h50 - Atualizado em 03/05/2019 10h39
Marcos Corrêa / Presidência da RepúblicaA ministra também afirmou que tem sofrido ameaças pela atuação no cargo. "Lido com pedofilia e crime organizado".

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, negou que tenha pedido demissão do cargo ao presidente Jair Bolsonaro. Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, nesta sexta-feira (3), ela afirmou que toda a situação não passou de um mal entendido.

Em conversa com jornalistas, a ministra teria afirmado que “ficaria no governo até onde a minha saúde aguentar”. A imprensa, segundo ela, teria compreendido que o comunicado se trataria de um pedido de demissão. “Não vou deixar o governo, tenho muita coisa para fazer ainda”.

Damares explicou que, quando foi convidada para ser ministra pelo presidente Jair Bolsonaro, já estava pedindo aposentadoria. “Eu estava pautada por um processo de exaustão”.

A ministra também afirmou que tem sofrido ameaças pela atuação no cargo. “Não é porque eu sou ministra, não”, argumentou. “Eu lido com pedofilia, que está diretamente ligada ao crime organizado. Essas ameças vêm via redes sociais frequentemente. Tive que sair de casa para um hotel e estou lá até hoje”.

Ex-assessora jurídica do então senador Magno Malta e colaboradora ativa da bancada evangélica, Damares foi uma das primeiras escolhas para a equipe ministerial de Bolsonaro, em dezembro do ano passado.