Dataprev encerra atividade em 20 estados e vai demitir 15% dos funcionários

  • Por Jovem Pan
  • 09/01/2020 06h53
Agência BrasilAqueles que não aderirem ao Programa, que prevê um conjunto de incentivos para deixar a empresa, serão demitidos

A Dataprev, estatal responsável pelo processamento de dados das aposentadorias no país, vai encerrar as atividades em 20 estados e cortar 15% dos 3,3 mil funcionários até o fim do ano.

A expectativa é que a medida gere uma economia anual de cerca de R$ 93 milhões aos cofres públicos. A empresa vai centralizar as atividades em sete regiões consideradas estratégicas: Ceará, Distrito Federal, Paraíba, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e São Paulo.

De qualquer forma, segundo a estatal, o atendimento dos clientes nos Estados que terão unidades fechadas não será prejudicado.

Isso porque, atualmente, o trabalho já é descentralizado. Ou seja, muitos clientes já são atendidos remotamente por funcionários alocados em outas regiões do país.

Um Programa de Adequação de Quadro foi lançado nesta quarta-feira (8) pela empresa para desligar os cerca de 500 funcionários que trabalham nas unidades que serão fechadas.

Aqueles que não aderirem ao Programa, que prevê um conjunto de incentivos para deixar a empresa, serão demitidos. Não haverá a opção de transferência para as unidades que continuarão funcionando.

É bom lembrar que a estatal entrou no Programa Nacional de Desestatização do governo federal no fim do ano passado, mas o BNDES ainda vai avaliar se a privatização é viável e a modelagem de venda.

O fato é que a Dataprev, que recebe do governo federal para gerir as folhas de aposentadorias e pensões, vem perdendo eficiência ao longo dos últimos anos.

Para 2019, o faturamento projetado é de R$ 1,6 bilhão e lucro de R$ 170 milhões — sendo que 98% da receita são oriundos do processamento da folha do INSS. Por isso, a principal meta da estatal para 2020 é aumentar os negócios com o setor privado.

*Com informações do repórter Antônio Maldonado