De acordo com PM, incêndio em galpão das Casas André Luiz pode ter sido criminoso

  • Por Jovem Pan
  • 19/06/2019 06h49 - Atualizado em 19/06/2019 10h15
Estadão ConteúdoO fogo atingiu uma oficina de reparo de móveis e estofados, além de um galpão utilizado para venda desses objetos

Para a polícia militar, o incêndio que destruiu o galpão das Casas André Luiz, na Zona Leste de São Paulo, foi criminoso. O caso aconteceu na madrugada desta terça-feira (18) no espaço localizado na avenida Marechal Tito, no Itaim Paulista.

Os bombeiros levaram mais de quatro horas para controlar o fogo que destruiu uma oficina de reparo de móveis e estofados doados. Esses artigos são restaurados e depois vendidos para o financiamento da instituição num outro galpão que também foi atingido.

As chamas afetaram ainda três casas de uma viela vizinha, mas ninguém se feriu. Imagens aéreas da subprefeitura do Itaim Paulista mostram um estrago significativo no local.

O sargento da PM Elias Figueiredo conta que a hipótese mais provável para o incêndio é que ele tenha sido iniciado após uma tentativa de assalto ao local. “A sala está toda revirada e o cofre está fora do lugar. Não conseguiram abrir o cofre e talvez por isso tacaram fogo”.

O coordenador de planejamento e desenvolvimento urbano da subprefeitura do Itaim Paulista diz que a construção do galpão estava parcialmente irregular. Celso Gabriel Arruda afirma que o imóvel, que é alugado, estava em processo de regularização junto às autoridades.

O gerente de logística das Casas André Luiz confirma que está regularizando a situação do imóvel, que abriga uma das principais lojas da instituição.

Rubens Oliveira diz que os prejuízos foram significativos e que o total ainda vai ser conhecido. “É considerável, ainda não apuramos o que foi afetado dentro da loja”.

A subprefeitura do Itaim Paulista terminou a vistoria dos imóveis atingidos no fim da manhã. A administração regional determinou a interdição dos dois galpões da instituição e de três casas vizinhas, uma totalmente e duas de maneira parcial.

*Com informações do repórter Tiago Muniz