De estupro a esquartejamento: Relator de projeto anticrime denuncia ameaças feitas contra sua família

  • Por Jovem Pan
  • 09/04/2019 07h39
Marcos Oliveira/Agência Senado"Por estar como relator, eu tenho recebido ameaças de morte, da minha família também, ameaças graves como sequestro, estupro e esquartejamento", disse Marcos do Val

Polêmico e visando, entre outros pontos, a prisão após a condenação em segunda instância, o projeto anticrime apresentado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, já tem seus relatores definidos no Senado, onde inicia sua tramitação para depois seguir à Câmara.

O projeto, entretanto, vem causando preocupação por parte de autoridades de segurança por conta de ameaças. Um dos relatores do projeto, senador Marcos do Val (Cidadania), reafirmou em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã que vem recebendo ameaças caso o projeto seja votado.

Sem citar nomes de que o ameaçou, Marcos do Val explicou que ameaças são essas: “por estar como relator, eu tenho recebido ameaças de morte, da minha família também, ameaças graves como sequestro, estupro e esquartejamento. Estão dizendo que se o projeto for votado, minha família que vai pagar o preço”.

Questionado sobre por onde recebe as ameaças, o senador disse que elas vêm pela internet. “O próprio ministro [Moro], a Polícia federal, a Polícia do Senado, está todo mundo empenhado na busca dos que estão ameaçando. É uma ameaça à democracia, enviam diretamente a um senador da República. Essas pessoas precisam ser presas”.

Sobre o pacote anticrime, o senador ressaltou sua conversa com Sergio Moro nesta segunda-feira (08). “O ministro esteve no meu gabinete com a equipe dele, juntei a minha equipe e fomos discutir alguns pontos que geraram dúvidas. Ele explicou alguns motivos pelos quais inseriu as leis e sugerimos algumas alterações. Ele aceitou e na próxima etapa faremos audiência pública, depois quero apresentar aos líderes partidários e então a gente dá início na votação”.

Sobre as alterações, Marcos do Val disse que foram “pequenos detalhes” como palavras que poderiam dar duplo sentido, e voltou a defender a prisão após segunda instância.

A previsão é de que até junho o relatório seja votado.

Confira a entrevista completa com o relator do projeto anticrime, senador Marcos do Val: