De volta ao Brasil, Bolsonaro analisa proposta de reforma da Previdência dos militares

  • Por Jovem Pan
  • 20/03/2019 06h49
Alan Santos/PRSerão apresentados ao presidente alguns cenários para que ele possa escolher o melhor caminho

Já de volta ao Brasil, o presidente Jair Bolsonaro se reúne em Brasília, nesta quarta-feira (20), com o ministro da Defesa, Fernando Azevedo, para definir os últimos detalhes da reforma dos militares, que será encaminhada logo mais ao Congresso Nacional.

Serão apresentados ao presidente alguns cenários para que ele possa escolher o melhor caminho.

Os últimos dias foram de intensos debates entre a área econômica e o ministério da Defesa. O vice-presidente Hamilton Mourão sinalizou que a economia com a reforma deverá chegar a R$ 13 bilhões ao fim de 10 anos. A equipe econômica falava em mais de R$ 90 bilhões.

O secretário especial de Previdência, Rogério Marinho, disse que todos os dados serão apresentados logo mais e garantiu que seja qual for a proposta escolhida pelo presidente Bolsonaro, o resultado será positivo.

O temor da área econômica é que a chamada reestruturação da carreira e as modificações que estão sendo feitas na assistência acabem reduzindo a economia pretendida.

O vice Hamilton Mourão justificou a necessidade de escalonamento, por exemplo, da elevação da contribuição para os militares: “porque senão haverá redução salarial de imediato, mas vai aumentar em dois anos”.

No Congresso, a expectativa é que a proposta dos militares seja analisada numa comissão especial separada da reforma para os servidores públicos e funcionários da iniciativa privada. O compromisso também é de só votar a proposta da categoria depois da reforma geral ter sido aprovada.

*Informações da repórter Luciana Verdolin