Décio Oddone renuncia à direção-geral da ANP

  • Por Jovem Pan
  • 16/01/2020 07h26 - Atualizado em 16/01/2020 07h27
Ao longo da gestão, Décio Oddone disse ter estimulado a competição no setor de combustíveis

O diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis vai renunciar ao cargo. Em um comunicado feito nesta quarta-feira (15), o chefe da ANP, Décio Oddone, anunciou que sairá do posto assim que o governo encontrar um substituto.

Na carta, Oddone disse ter cumprido um ciclo. Ele assumiu a gestão da agência em 2016, ainda durante o governo do ex-presidente Michel Temer, e o mandato se encerraria no final deste ano.

No entanto, ele afirmou que a saída antecipada é uma forma de facilitar o processo do governo em nomear um novo diretor-geral, já que — em dezembro de 2020 — outros três diretores deixarão os cargos.

Ao longo da gestão, Décio Oddone disse ter estimulado a competição no setor de combustíveis e ter contribuído com a maior transformação no cenário petroleiro do Brasil. No anúncio, ele afirmou que, agora, tem início uma nova fase para ajustar as medidas já implementadas.

Em 2017, o país retomou os leilões de petróleo e, com isso, arrecadou ao longo desses três anos mais de R$ 100 bilhões. Quase R$ 70 bilhões do montante arrecadado vieram do mega leilão do pré-sal, que ocorreu em novembro do ano passado.

*Com informações da repórter Camila Yunes