Defesa Civil descarta fim de buscas em Brumadinho: ‘Enquanto existir possibilidade estaremos focados’

  • Por Jovem Pan
  • 07/02/2019 09h35
Ramon Bittencourt/Estadão Conteúdo"Enquanto existir possibilidade, os bombeiros, a Defesa Civil, a Polícia Militar e a Polícia Civil, estaremos focados em tentar dar o mínimo de dignidade às famílias", disse Godinho

No 14º dia de buscas por desaparecidos após o rompimento da barragem em Brumadinho, em Minas Gerais, ficam cada vez mais fortes os boatos de encerramento dos trabalhos de resgate.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, o coordenador da Defesa Civil de Minas Gerais, tenente-coronel Flávio Godinho, foi claro e disse que não há prazo para término dos trabalhos.

“Não existe nenhum prazo estipulado, e isso é bom deixar claro para a mídia, porque tem lugares que dizem o contrário, para o término da operação. Enquanto existir possibilidade, os bombeiros, a Defesa Civil, a Polícia Militar e a Polícia Civil, estaremos focados em tentar dar o mínimo de dignidade às famílias. Ou seja, pelo menos fazer o enterro de seus entes queridos”, declarou.

Sobre a quantidade de agentes envolvidos nas buscas, Godinho afirmou que mesmo com chuva os trabalhos continuam e que nesta quinta-feira bombeiros de outro Estado chegaram a Minas Gerais. “A todo momento aumentando o número de pessoas trabalhando”, disse.

Agora, a estratégia das equipes de resgate trabalham com maquinário pesado para a retirada de lama em locais de difícil acesso.

A respeito da recuperação da cidade, Godinho ressaltou a construção de uma ponte, que será financiada pela Vale, para que o acesso às comunidades seja retomado. A ponte será feita no prazo de três semanas, segundo a Defesa Civil, na Via Alberto Torres, e de forma definitiva.

Enquanto as obras ocorrem, a Vale também disponibilizará vans para realizar o transporte entre o Córrego do Feijão, Brumadinho e Casa Branca. “Serão oito horários, das 8h às 20h”, acrescenta Godinho.

Confira a entrevista completa com o coordenador da Defesa Civil de Minas Gerais, tenente-coronel Flávio Godinho: