Defesa de Lula pede afastamento de desembargador no processo do sítio de Atibaia

  • Por Jovem Pan
  • 03/07/2019 06h33 - Atualizado em 03/07/2019 10h13
Marcelo Camargo/Agência BrasilO argumento da defesa do ex-presidente é de que Thompson Flores manteve Lula preso mesmo após ordem de soltura emitida em 2018, o que o torna suspeito

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu nesta terça-feira (2) o afastamento do desembargador Thompson Flores do processo do sítio de Atibaia.

O desembargador passou a integrar a 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, no fim do mês passado, após deixar a presidência da Corte. O colegiado é o responsável por julgar os casos da Lava Jato em 2ª instância.

No pedido de suspeição, os advogados do petista afirmam que Thompson Flores é suspeito para julgar o ex-presidente. Um dos argumentos utilizados foi a determinação em que ele manteve Lula preso mesmo após uma ordem de soltura emitida pelo desembargador plantonista Rogério Favreto, em julho de 2018.

Agora, a solicitação vai ser enviada pelo relator da Lava Jato no TRF-4, João Pedro Gebran Neto, para ser analisado pelos integrantes da 4ª seção do tribunal.

Em primeira instância o ex-presidente Lula foi condenado a 12 anos e 11 meses de prisão por corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro. Ainda não há uma data para julgamento do caso do Sítio de Atibaia em 2ª instância.

O pedido de suspeição de Thompson Flores foi o quarto feito pela defesa de Lula neste processo.

*Com informações do repórter Afonso Marangoni