Delator diz que Leonardo Picciani recebeu propina, mas Governo sequer cobra explicações

  • Por Jovem Pan
  • 17/11/2017 06h30 - Atualizado em 17/11/2017 11h30
Marcelo Camargo/Agência BrasilO delator Renato Pereira, marqueteiro de Sérgio Cabral, disse, em depoimento, que o ministro do Esporte, Leonardo Picciani, recebeu propina para faturamento no Ministério da Saúde

Até aliados do presidente Michel Temer estranham a relação do Governo com investigados. Em vez de afastamento e cobrança de explicações, proteção.

Mais um ministro está sendo investigado. O delator Renato Pereira, marqueteiro de Sérgio Cabral, disse, em depoimento, que o ministro do Esporte, Leonardo Picciani, recebeu propina para faturamento no Ministério da Saúde. O contrato acabou não acontecendo, pelas mudanças na política.

Nem pressão houve internamente para a demissão de Picciani na pasta do Esporte.

O Governo já tem nove ministros investigados, além do próprio presidente, que já teve dois processos arquivados por decisão da Câmara.

Aliados até protegem e querem estabilidade para dois ministros que não são parlamentares e que se saírem da Esplanada irão para a Justiça comum: o ministro de Ciência, Tecnologia e Comunicação, Gilberto Kassab, e o de Indústria e Desenvolvimento, Marcos Pereira.

*Informações do repórter José Maria Trindade