Deltan rejeita promoção e permanece na Lava Jato

  • Por Jovem Pan
  • 22/10/2019 06h30 - Atualizado em 22/10/2019 09h46
Fernando Frazão/Agência Brasil O procurador da República Deltan Dallagnol Procurador esteve envolvido em acusações de supostos abusos na condução da Operação

O procurador Deltan Dallagnol recusou a promoção para atuar na Procuradoria Regional da República da Quarta Região, que fica sediada em Porto Alegre. Ele optou por continuar atuando nos quadros do Ministério Público Federal (MPF) como chefe da força tarefa da Operação Lava Jato. Nesta segunda-feira (21), Dallagnol enviou ofício ao Conselho Superior do MPF, afirmando que “não tem interesse em concorrer à promoção no momento”.

Recentemente, o procurador esteve envolvido em acusações de supostos abusos na condução da Operação Lava Jato, o que gerou muitos questionamentos sobre a permanência dele na instituição. No comunicado, emitido ontem, Dallagnol pontuou que, antes de tomar a decisão sobre a promoção para atuar na Procuradoria Regional, ele conversou com os demais procuradores da força-tarefa e ponderou aspectos pessoais e profissionais.

Ainda nesta segunda-feira (21), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, rejeitou o pedido realizado pelo Partido dos Trabalhadores (PT), para investigar Dallagnol. O deputado federal Paulo Pimenta assinou o pedido do partido para investigar o procurador por abuso de poder, fraude processual, prevaricação, organização criminosa e atos de improbidade administrativa.

No entanto, o ministro decidiu arquivar o processo, argumentando que o caso não pode prosseguir no Supremo porque não seria uma incumbência do Judiciário decidir este tipo de investigação. Ele ainda pontuou que essas são funções designadas à polícia ou ao Ministério Público.

*Com informações da repórter Camila Yunes