Dentro do esperado, primeiro debate entre Johnson e Corbyn não deve mudar votos

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 20/11/2019 09h29
EFEAmbos candidatos garantiram ainda que os tempos de austeridade acabaram de vez e que o Governo precisa investir para fazer a economia girar

Os líderes dos dois principais partidos do Reino Unido se enfrentaram na terça-feira (19) no primeiro debate na TV, antecipando as eleições do dia 12. Boris Johnson e Jeremy Corbyn ficaram frente a frente por uma hora numa tentativa de conquistar eleitores nesta reta final do processo.

Por decisão da emissora, a ITV, as líderes dos outros partidos não foram convidadas – elas até recorreram à Justiça, mas não conseguiram mudar o formato. Não que Nicola Sturgeon e Jo Swinson tenham perdido muita coisa.

O debate foi aquilo que se esperava e dificilmente mudou o voto de alguém. A primeira metade do programa foi dedicada ao principal tema de campanha: o Brexit.

O primeiro-ministro, claramente seguindo as ordens de seu marqueteiro, martelou na frase: get Brexit done – algo como ‘concluir o Brexit’. Johnson insiste que precisa de mais cadeiras no parlamento para encerrar essa história de uma vez por todas ainda em 2020.

Já a proposta da oposição é radicalmente outra: Jeremy Corbyn argumentou que o acordo de Johnson é pior que o de Theresa May. O trabalhista quer voltar a Bruxelas para renegociar o acordo de separação, deixando os britânicos na união fiscal europeia para manter laços bem próximos ao continente.

Depois disso ele promete colocar o plano para apreciação popular em um segundo referendo, que seria realizado no ano que vem.

Além do Brexit

Outros temas também ganharam destaque no debate, sobretudo a defesa do sistema público de saúde, uma instituição sagrada para os britânicos. Johnson também falou sobre aquecimento global e reconheceu que este é um problema colossal para todo o planeta.

Ambos candidatos garantiram ainda que os tempos de austeridade acabaram de vez e que o Governo precisa investir para fazer a economia girar.

Por fim, não é possível dizer que algum dos dois lados saiu vencedor do encontro na televisão.

O que talvez seja melhor para Boris Johnson, que segue liderando as pesquisas de opinião, com dois dígitos de vantagem.