Denúncia contra Temer e ministros deve ser votada nesta semana na CCJ da Câmara

  • Por Jovem Pan
  • 16/10/2017 06h18
EFE/Joédson AlvesA denúncia será votada no plenário da Câmara, independentemente do resultado na CCJ

O Governo tenta obter na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara um placar melhor que na votação da primeira denúncia contra Michel Temer, quando o parecer favorável ao presidente foi aprovado por 41 votos a 24.

O relatório do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB), favorável a Temer, já foi lido na CCJ. Ele afirmou que o presidente não deve ser investigado pelo Supremo. “Mas a denúncia é estranha porque pega dados de 2001 e 2002, atingindo o presidente Lula e presidenta Dilma, quando esses dois são objeto de processos separados em outros juizados de primeira instância. Acho que a denúncia se excedeu nas áreas de suas observações, e por isso falha neste ponto”, disse o relator.

Mas a oposição vai usar todas as armas para convencer o colegiado do contrário, como os vídeos gravados da delação do depoimento do doleiro Lúcio Funaro, à Procuradoria-Geral da República.

Na próxima quarta-feira (18), está previsto o início das discussões do parecer. A partir daí, será uma maratona de debates contra e a favor à denúncia, que tem previsão para acabar apenas na quinta-feira (19), quando deverá ser feita a votação do relatório.

Até 172 deputados poderão falar de dez a 15 minutos na Comissão. Os parlamentares vão defender o seu ponto de vista sobre a necessidade de Michel Temer ser investigado pelo Supremo Tribunal Federal ou não.

A denúncia será votada no plenário da Câmara, independentemente do resultado na CCJ. O presidente da Casa, Rodrigo Maia, já disse que pretende pautar o tema na semana de 23 a 27 de outubro.

*Informações do repórter Arthur Scotti