Depois de Irã quebrar acordo nuclear, EUA ameaçam impor sanções mais severas ao país

  • Por Jovem Pan
  • 08/07/2019 07h44 - Atualizado em 08/07/2019 10h06
EFETrump impôs sanções ao país alegando que Irã financiava o terrorismo

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, ameaçou impor sanções mais severas contra o Irã depois que o país anunciou mais uma violação do Acordo Nuclear. Desde domingo (7), a nação iraniana aumentou o enriquecimento de urânio a 5%, nível quase 1,5% maior do que o permitido no pacto estabelecido em 2015.

Teerã ainda disse que vai rever a cada dois meses o rompimento com outros termos do tratado. De acordo com o governo, o urânio enriquecido será usado para atividades pacíficas.

O primeiro-ministro do Irã, Benjamin Netanyahu, fez um apelo aos países que integram o Acordo para que atuem contra o enriquecimento de urânio. “O enriquecimento de urânio é feito por uma única razão: para criar uma bomba atômica. Os líderes do P5+1 prometerem e se comprometeram a impor sanções no minuto que Irã fizesse isso. Ele acabou de fazer. Cadê vocês?”, questionou.

Em resposta, o Reino Unido e Alemanha – que fazem parte do acordo – pediram que o líder do Irã, Hassan Rohani, voltasse atrás da decisão. O presidente francês Emmanuel Macron também expressou preocupação com o enfraquecimento do acordo e com as consequências das violações.

Entenda

Desde que os Estados Unidos se retiraram do Acordo Nuclear, as tensões entre Teerã e Washington só crescem. Sob a alegação de que o Irã financiava o terrorismo, Donald Trump impôs sanções econômicas contra o país, inclusive convencendo outras nações a deixar de comprar o petróleo iraniano.

Hassan Rohani, pressionou os países que integram o Acordo Nuclear para que ajudassem a retirar as barreiras norte-americanas. Sem sucesso, ele anunciou a quebra de termos do pacto nuclear.