Deputados de PE definem texto que fecha duas delegacias de combate à corrupção; entidades protestam

  • Por Jovem Pan
  • 05/11/2018 07h27 - Atualizado em 05/11/2018 09h25
Reprodução/ALEPEA delegada Patrícia Domingos, titular da Decasp, contou que a delegacia é responsável por mais de 15 operações contra a corrupção no Estado

Deputados estaduais de Pernambuco definem o texto final do projeto que encerra duas delegacias de combate à corrupção e à pirataria.

Na semana passada, a Assembleia Legislativa do Estado aprovou a extinção da Delegacia de Crimes contra a Administração e Serviços Públicos, a Decasp, e a Delegacia de Crimes contra a Propriedade Imaterial, a Deprim. Apenas seis deputados votaram contrários a medida.

A delegada Patrícia Domingos, titular da Decasp, contou que a delegacia é responsável por mais de 15 operações contra a corrupção no Estado. Ela explicou que a Decasp atua de forma preventiva contra a corrupção.

De acordo com Patricia Domingos, esse é o principal anseio da população brasileira atualmente.

A partir da nova lei, as funções da Decasp e da Deprim ficarão sob a responsabilidade do novo Departamento de Repressão ao Crime Organizado, o Draco. A medida, no entanto, ainda gera protestos.

Na última terça-feira, um grupo de policiais se manifestou em frente a Assembleia Legislativa por entender que a união das delegacias pode enfraquecer as ações de combate aos crimes de colarinho branco.

A Associação dos Delegados de Polícia de Pernambuco também se posicionou contra.

De acordo com a Secretaria de Defesa Social, o governo pretende extinguir a Delegacia de Crimes contra a Administração e Serviços Públicos até o fim de 2018.

*Informações da repórter Marcella Lourenzetto