Deputados defendem ampliação da meta fiscal para evitar aumento de impostos

  • Por Jovem Pan
  • 15/08/2017 06h38 - Atualizado em 15/08/2017 14h14
Brasília - O presidente, Deputado Rogério Rosso, durante sessão da comissão especial encarregada de analisar o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados (Marcelo Camargo/Agência Brasil)O deputado Rogério Rosso (PSD) reiterou que um aumento na carga tributária nesse momento não teria chances de ser aprovado na Câmara

Enquanto o Governo adia o anúncio da nova meta fiscal, parlamentares discutem como a proposta deve ser recebida pelo Congresso. A previsão é que o rombo deste ano aumente em R$ 20 bilhões. A meta, no momento, é de gastar R$ 139 bilhões a mais do que arrecada.

A expectativa de líderes da base aliada é que a ampliação seja aprovada e que apenas a oposição faça forte resistência.

Um dos principais motivos que os deputados apontam é que ampliar a meta fiscal evita um novo aumento de impostos.

O presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM), acredita que o foco tem que ser a redução de gastos: “congresso não vai aprovar aumento de impostos. Acho que a sociedade já paga muitos impostos, a linha do que o Governo defendeu e que nós defendemos era a importância da redução de gastos e é nessa linha que temos que trabalhar”.

O deputado Rogério Rosso (PSD) reiterou que um aumento na carga tributária nesse momento não teria chances de ser aprovado na Câmara: “é impossível, não passa”.

Depois de anunciar um reajuste nos impostos sobre combustíveis, o governo também cogitou um aumento da alíquota do Imposto de Renda. Mas o presidente Michel Temer descartou a possibilidade.

*Informações do repórter Levy Guimarães