Deputados do RJ querem investigação do MP sobre possível espionagem

  • Por Jovem Pan
  • 14/02/2020 07h29
LG Soares / AlerjDeputados da Alerj pedem a exoneração do secretário Lucas Tristão

Nesta quinta-feira, parlamentares da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro aprovaram o envio de uma solicitação ao Ministério Público para que sejam investigadas a suspeita de que deputados da casa foram alvo de monitoramento, espionagem e grampos telefônicos.

A denúncia de possível grampo nasceu na semana passada, quando dois parlamentares acionaram o presidente da Alerj, André Siciliano (PT). Eles suspeitavam que estavam sendo monitorados dentro do próprio parlamento. As suspeitas recaem sobre o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Lucas Tristão, que é muito próximo do Governador Wilson Witzel (PSC).

Tristão nega que tenha feito ou autorizado o suposto grampo. Em nota, ele declarou que tem uma relação saudável e respeitosa com a Alerj. Uma moção de repúdio ao secretário foi aprovada pela Casa nesta quinta-feira, a pedido do deputado estadual Luís Paulo Corrêa da Rocha (PSDB) que se diz favorável, inclusive, ao desligamento de Tristão da pasta.

“Considero inadmissível e inaceitável rasgar a Constituição da República. Ter a possibilidade do poder executivo estar promovendo escutas clandestinas, e de ter um secretário de estado afirmando que tem dossiê contra os 70 deputados”.

A Comissão de Tributação quer também ouvir o secretário sobre a denúncia de supostos dossiês contra os parlamentares.

* Com informações do repórter Rodrigo Viga.