Deputados petistas entram com ação contra Moro no CNJ após retirada de sigilo da delação de Palocci

  • Por Jovem Pan
  • 03/10/2018 08h12
Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência BrasilNa decisão de tirar o sigilo da delação, Moro argumenta que a ação penal à qual ela se refere, envolvendo o ex-presidente Lula, está em fase final de instrução

Líderes do PT na Câmara dos Deputados entraram com ação contra o juiz federal Sérgio Moro no Conselho Nacional de Justiça.

Os deputados Paulo Pimenta, Paulo Teixeira e Wadih Damous pedem que o magistrado seja declarado suspeito nos casos envolvendo o ex-presidente Lula após ter divulgado trecho de delação premiada de Antonio Palocci na última segunda-feira (01).

A representação critica o fato de a delação ter se tornado pública a apenas seis dias do primeiro turno. Segundo o documento, o juiz federal se distancia do interesse público e atende a interesses de “criminalização de determinados indivíduos e da vida pessoal e política de certos investigados, sob o descompromisso com a preservação da legalidade e dos pressupostos do Estado Democrático de Direito”.

Ainda segundo os petistas, a decisão de Moro configura uma “postura incompatível com a importância e as altas responsabilidades do cargo de Magistrado e que por isso deve ser rechaçada, principalmente por esse Conselho Nacional de Justiça.”

O texto afirma que foram quebradas regras do Código de Ética da Magistratura, colocando em dúvida a imparcialidade de Sérgio Moro, que interferiria no processo eleitoral.

Na decisão de tirar o sigilo da delação, Moro argumenta que a ação penal à qual ela se refere, envolvendo o ex-presidente Lula, está em fase final de instrução e a divulgação é necessária para a ampla defesa dos coacusados.

*Informações do repórter Levy Guimarães