Deputados presos pela Lava Jato estão em comissão que decidirá o destino de Witzel

  • Por Jovem Pan
  • 16/06/2020 07h52 - Atualizado em 16/06/2020 07h55
Gilvan de Souza/Estadão ConteúdoA briga de poderes já começou na Assembleia do Rio de Janeiro, as compras para a pandemia de coronavírus devem ser esmiuçadas pelos parlamentares

Dois deputados da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), que foram presos pela Lava Jato, vão compor uma comissão que irá definir o impeachment do governador do Estado, Wilson Witzel.

No momento, já são praticamente conhecidos os 25 deputados que vão integrar a comissão especial que vai analisar, ao longo das próximas semanas, a chamada admissibilidade do impeachment do governador.

Na lista, está o deputado Luiz Paulo Corrêa da Rocha, autor do processo aceito pela Alerj, nomes ligados à presidência da Assembleia e dois parlamentares, Marcos Abrahão e Marcus Vinicius Neskau, que tomaram posse recentemente, depois de meses presos pela Operação Furna da Onça, da Polícia Federal.

Ainda essa semana, o relator e o presidente da comissão serão escolhidos. A briga de poderes já começou na Assembleia do Rio de Janeiro, as compras para a pandemia de coronavírus devem ser esmiuçadas pelos parlamentares.

Nesta segunda-feira (15) houve também uma operação do Ministério Público para apurar desvios de recursos em contratações da prefeitura de Cabo Frio. Ao todo, 30 mandados de busca e apreensão foram cumpridos.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga