Deputados tentam acordo para votar ampliação do porte de armas

  • Por Jovem Pan
  • 04/11/2019 06h48 - Atualizado em 04/11/2019 07h28
Flickr A expectativa era de que o projeto tivesse sido analisado ainda na semana passada, mas a oposição obstruiu os trabalhos

O plenário da Câmara dos Deputados deve finalmente votar, nesta terça-feira (5), o projeto que flexibiliza o porte e a posse de armas no país. A proposta está na pauta, pronta para ser votada, a pelo menos seis semanas.

Agora, porém, o relator deputado Alexandre leite aceitou fazer mudanças no texto que devem facilitar a aprovação. A ideia é que ele apresente um novo parecer com sugestões de mudanças nas regras apenas para os CACs (caçadores, atiradores e colecionadores).

De qualquer forma, durante a análise do plenário, os deputados ainda podem apresentar destaques para reincluir trechos relacionados ao porte e a posse de armas para cidadãos que não tenham prerrogativa vinculada a carreira.

A expectativa era de que o projeto tivesse sido analisado ainda na semana passada, mas a oposição obstruiu os trabalhos justamente por não querer tratar do porte para a população geral – apenas para o caso dos CACs.

Foi o que mostrou o líder do Cidadania, deputado Daniel Coelho. “O relatório, misturando os assuntos, pelo comportamento do plenário e tendo ouvido os parlamentares, ele não tem maioria para ser aprovado. Isso é uma insistência que, inclusive, pode levar ao prejuízo daqueles que defendem os CACs.”

A base governista, no entanto, argumenta que a população elegeu um presidente armamentista e que a flexibilização do porte e da posse de armas é uma demanda da sociedade.

Diante da resistência da oposição, o presidente da Câmara pediu que o relator construísse um novo texto. É essa segunda versão, encomendada por Rodrigo Maia, que deve ser votada  no plenário nesta terça-feira.

De qualquer forma, antes de seguir para sanção presidencial, o projeto precisará passar pelo crivo do Senado.

*Com informações do repórter Antônio Maldonado