Desastres climáticos provocaram cerca de US$ 84 bilhões em prejuízos neste ano

  • Por Jovem Pan
  • 28/12/2018 06h07
EFEOs furacões Florence e Michael foram os eventos climáticos mais caros de 2018

Desastres climáticos em 2018 causaram, pelo menos, 84 bilhões de dólares em prejuízos, aponta organização inglesa de assistência Christian Aid. De acordo com o estudo divulgado nesta quinta-feira (27), todos os continentes povoados do globo sofreram com calor extremo, tsunamis e enchentes, por exemplo.

Para chegar ao valor do impacto destes fenômenos foram levados em consideração apenas os 10 piores desastres do ano.

Os furacões Florence e Michael foram os eventos climáticos mais caros de 2018. Eles representaram um prejuízo de ao menos 32 bilhões de dólares ao atingirem os Estados Unidos, o Caribe e partes da América Central.

No relatório são citados os incêndios florestais na Califórnia, as enchentes no Japão e a seca na Europa. Também entraram no cálculo seis enchentes no sul da Índia e o tufão Mangkhut nas Filipinas e na China.

Os autores do estudo salientam que não foi contabilizado o custo humano dos eventos climáticos.

A representante da Christian Aid, Kat Kramer, aponta que, para muitas pessoas, a mudança climática está tendo impactos devastadores em suas vidas e meios de subsistência.

A instituição britânica defendeu que ações urgentes são necessárias para combater o aquecimento global. A erupção do vulcão Etna, na Itália, e o tsunami, na Indonésia, que aconteceram nos últimos dias, não foram contabilizados nos prejuízos.

*Informações do repórter Afonso Marangoni