Dez militares do Exército são presos após erro que levou à morte de inocente em veículo no RJ

  • Por Jovem Pan
  • 09/04/2019 06h51
Jose Lucena/Estadão ConteúdoEvaldo morreu na hora e não teve chance de ser socorrido

Dez militares do Exército foram presos por erro histórico e irreparável. Eles mataram um inocente e dispararam contra o carro dele com mais de 80 tiros.

A vítima foi o músico Evaldo dos Santos Rosa, morto no domingo (07) perto da Vila Militar, em Deodoro, no Rio de Janeiro. O carro que ele estava com a esposa, sogro, filho e uma quinta pessoa foi fuzilado.

O veículo foi confundido com carro usado por criminosos que estavam promovendo assaltos na região. Injustificavelmente, os militares do Exército atiraram no veículo conduzido pelo músico.

Os tiros atingiram o músico e o sogro dele, nas nádegas. Evaldo morreu na hora e não teve chance de ser socorrido.

Uma outra pessoa que tentou ajudar as vítimas da barbárie acabou sendo baleada e está internada em coma em hospital da periferia do RJ. Foi uma sequência de erros.

O Comando Militar do Leste emitiu quatro notas sobre o caso. Inicialmente disse que o carro do músico foi jogado contra os militares e a posição final veio no início da tarde desta segunda-feira (08), quando os militares disseram que confundiram o carro e dez dos 12 agentes do Exército estão presos.

A esposa de Evaldo, Luciana dos Santos, estava inconsolável nesta segunda-feira no IML: “um homem caseiro, trabalhador, meu melhor amigo, meu Deus”.

O assassinato será investigado pela Justiça Militar e os agentes podem ser expulsos da corporação.

*Informações do repórter Rodrigo Viga