Diretora de joalheria diz que Adriana Ancelmo era exigente e comprava joias raras

  • Por Jovem Pan
  • 20/09/2017 07h26 - Atualizado em 20/09/2017 13h11
10/05/2017- Rio de Janeiro- RJ, Brasil- Esposa do ex-governador Sergio Cabral, Adriana Ancelmo, deixa a 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro após depoimento à Justiça Federal Foto: Fernando Frazão/Agência BrasilSegundo Maria Luiza Trota, houve um tempo até que Adriana Ancelmo se cansou do diamante branco e só queria o tipo mais raro, o amarelo

Uma mulher exigente, de gosto apurado e que comprava sempre as joias mais raras e mais caras. Foi assim que a diretora comercial de uma joalheria do Rio de Janeiro definiu Adriana Ancelmo, a ex-primeira-dama do Estado.

Segundo Maria Luiza Trota, houve um tempo até que Adriana Ancelmo se cansou do diamante branco e só queria o tipo mais raro, o amarelo. Ela contou que a ex-primeira-dama chegou a devolver um par de brincos de diamante branco e trocou por um de amarelo, que custou R$ 1,8 milhão.

Mas como Adriana Ancelmo tinha crédito de R$ 1,2 milhão por conta do par de diamante branco, a diferença foi de R$ 600 mil. Quem fez o pagamento foi Carlos Miranda, um dos operadores do esquema de Sérgio Cabral.

Uma outra informação, nesta terça-feira (19), a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal decidiu manter na corte a investigação sobre o ex-prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, que foi citado em delações de executivos da Odebrecht.

Os executivos da construtora disseram que Paes intermediou, em 2010, R$ 3 milhões advindos da Odebrecht para a campanha de Pedro Paulo (PMDB), e que o ex-prefeito teria recebido para sua reeleição de 2012 R$ 15 milhões da construtora, que, em troca, recebeu trocas em obras no município.

*Informações do repórter Rodrigo Viga