Disparo de PM atinge peito de cozinheiro e Doria pede investigação rigorosa

  • Por Jovem Pan
  • 29/01/2020 06h49
Governo do Estado de São Paulo.Doria pediu o afastamento do policial envolvido no caso

O governador de São Paulo, João Doria, nega que polícia militar esteja mais violenta e diz que policiais militares serão treinados novamente após casos de violência.

Doria falou durante um evento nesta terça-feira, após ser questionado sobre o vídeo em que um policial aparece atirando durante uma ação em São Mateus, na zona leste da capital paulista. O PM foi afastado dos serviços nas ruas.

Na gravação, é possível ver o policial militar efetuando um disparo. Depois, aparentemente tranquilo, ele diz: “amanhã vou preso, para mim tanto faz”. Segundo testemunhas, o tiro acertou o cozinheiro Claudemir Cipriano da Silva, de 32 anos 

O governador João Doria defendeu rigor nas investigações 

“Não é que ela [PM] está mais violenta, ela está mais eficiente, nesses últimos tempos. Isso não justifica nenhum tipo de abuso, e nem as palavras desse policial. Eu vi o vídeo, estava em Davos, e pedi para que tomassem providências no sentido de afastar o policial, proceder a investigação – temos que ser justos no processo, e puni-lo de acordo com o que corresponde sua falta”. 

Claudemir foi levado ao Hospital Santa Marcelino, onde segue internado. Segundo a família do cozinheiro, a bala ficou alojada a 30 mm do coração. Familiares contaram também que estavam em uma festa do time de futebol do bairro, quando uma viatura chegou e pediu para abaixar o volume do som.

Houve discussão entre os PMs e os integrantes da festa, quando de repente, um dos policiais teria começado a atirar contra os participantes.

Em um dos boletins de ocorrência do caso, o delegado Maurício José da Silva Pinto disse que os fatos são “gravíssimos” e que a ação foi “claramente irregular”. 

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública afirmou que a PM vai apurar os fatos.

* Com informações do repórter Leonardo Martins.