Distribuidores e postos veem precipitação do Governo ao recuar de preço do diesel

Bolsonaro interveio na política de preços da Petrobras temendo manifestações de caminhoneiros

  • Por Jovem Pan
  • 17/04/2019 09h47
Fernando Frazão/Agência Brasil Ao longo do primeiro trimestre, o combustível subiu quase 18% na etapa de processamento

Distribuidoras e postos veem precipitação em ação do presidente Jair Bolsonaro e lembram que diesel na bomba tem subido menos do que nas refinarias. Ao longo do primeiro trimestre, o combustível subiu quase 18% na etapa de processamento.

Ao mesmo tempo, os preços para o consumidor final tiveram elevação de pouco mais de 3%, de acordo com a Plural, que é a associação das distribuidoras.

O presidente-executivo da entidade, Leonardo Gadotti Filho, considerou que o indicador da refinaria é menos importante do que o da bomba: “a gente tem esse vício de sempre anunciar preços da Petrobras na refinaria. Isso não existe para o consumidor”.

O presidente do Sincopetro, que representa os postos do estado de São Paulo, defendeu mais previsibilidade no preço dos combustíveis. José Alberto Paiva Gouveia disse que, em nome da competitividade, os pontos de venda não repassam o aumento das refinarias e das distribuidoras.

“A ponta final não aceita o repasse, porque é a ponta final que atende o caminhoneiro e sente o problema dele”, disse.

O presidente Jair Bolsonaro interveio na política de preços da Petrobras na semana passada temendo manifestações de caminhoneiros. A estatal aumentaria o preço do diesel em 5,7% na quinta-feira e recuou no mesmo dia.

*Informações do repórter Tiago Muniz