Donald Trump impõe novas sanções ao Irã e ameaça com poderio militar

  • Por Jovem Pan
  • 09/01/2020 06h23
EFE/ Ian LangsdonEle ainda falou que o Irã parece estar recuando, e aproveitou a ocasião para voltar a justificar o ataque militar que matou Qasem Soleimani

O presidente norte-americano Donald Trump disse que vai impor novas sanções ao Irã por causa do ataque a duas bases militares norte-americanas no Iraque. De acordo com o presidente, as sanções vão continuar até os iranianos mudarem de comportamento e desistirem do programa nuclear.

Trump também disse que os ataques com mísseis às bases militares dos Estados Unidos não fez vítimas e causou prejuízos mínimos às instalações.

Ele ainda falou que o Irã parece estar recuando, e aproveitou a ocasião para voltar a justificar o ataque militar que matou Qasem Soleimani, dizendo que Soleimani foi um terrorista que planejava ataques contra alvos norte-americanos.

O líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, disse que Donald Trump quer evitar conflitos e mortes desnecessárias, mas está preparado para proteger os norte-americanos e seus interesses.

O senador Mitch McConnell também destacou que os iranianos não devem duvidar que os Estados Unidos estão dispostos a lançar novos ataques.

O líder do partido democrata no Senado, Chuck Schumer, também condenou o ataque iraniano, mas acusou a política externa de Trump de impulsiva e instável. O senador Schumer disse que o povo americano não quer uma guerra com o Irã, e que os Estados Unidos devem ser firmes nos próximos passos.

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, disse que se os Estados Unidos deixarem de interferir na região e não retaliarem, então o ataque foi a resposta final aos norte-americanos.

A crise no Irã afeta também o cenário econômico global, principalmente a questão do petróleo. A situação chegou a mudar as rotas de transporte do produto no Oriente Médio.

A Petrobrás decidiu suspender o trânsito de navios pelo Estreito de Hormuz, uma passagem importantíssima para o transporte de petróleo que fica entre o Irã e os Emirados Árabes.

A empresa disse que a medida não causará impactos no abastecimento de combustíveis no Brasil, e que continua monitorando os desdobramentos locais.

De acordo com o Wall Street Journal, a empresa saudita de transporte de petróleo Bahri também chegou a interromper a passagem de navios pelo Estreito de Hormuz por causa da crise na região.

Os preços do petróleo dispararam depois do ataque iraniano contra as bases norte-americanas no Iraque. Mas, na quarta-feira (8), fecharam em queda depois do pronunciamento de Donald Trump.

*Com informações da repórter Mariana Janjácomo