Doria afirma que investimento dos corredores de ônibus será pela iniciativa privada

  • Por Jovem Pan
  • 28/08/2017 07h35 - Atualizado em 28/08/2017 11h20
São Paulo- SP- Brasil- 03/02/2016- A revitalização do corredor de ônibus Inajar de Souza beneficia diariamente 201 mil pessoas. O trajeto que liga o Terminal Cachoeirinha, na zona norte, à região central da capital recebeu 14,6 quilômetros de pistas com novo piso e 28 novas paradas de ônibus, além de 3 quilômetros de ciclovia e 2,9 quilômetros de pista de caminhada. O prefeito Fernando Haddad vistoriou nesta quarta-feira (3) os resultados da obra e testou a viagem de ônibus da Freguesia do Ó até o Largo do Paissandu. “Nós já entregamos cerca de 40 quilômetros de corredores e 490 quilômetros de faixas exclusivas. A cidade hoje está tirando o ônibus do congestionamento. Na medida em que forem liberados os recursos do PAC [Programa de Aceleração do Crescimento], nós vamos transferir os ônibus da faixa à direita para o corredor à esquerda, porque do ponto de vista urbanístico a cidade fica mais organizada”, afirmou Haddad, durante a viagem na linha 9500-10 (Terminal Cachoeirinha - Paissandu). Com a intervenção, o deslocamento entre o terminal e a região central leva atualmente entre 20 e 30 minutos. O novo pavimento rígido instalado no corredor tem mais durabilidade e é mais adequado à alta circulação dos veículos e às frenagens nos pontos. Cerca de 30 linhas de ônibus foram beneficiadas com as obras. “Com esta estrutura, a Inajar de Souza passa a admitir verticalização, porque quando há a instalação do corredor, pelo plano diretor, pode verticalizar. É um ganho para a zona norte, que vai receber investimentos imobiliários com o transporte de massa garantido”, disse Haddad. O asfaltamento das demais faixas das avenidas por onde passa o corredor também foi renovado. A reforma foi realizada não só na avenida Inajar de Souza, mas também nas avenidas Marquês de São Vicente, Norma Pieruccini Gianotti, Ordem e Progresso, Rudge, Rio Branco, no Largo do Paissandu e no Terminal Praça dos Correios. Todas as 28 paA verba de R$ 1,8 bilhão prevista com subsídio para este ano acabou neste mês de agosto

A Prefeitura de São Paulo vai tirar quase R$ 8 milhões da construção e conservação dos corredores de ônibus da cidade.

O dinheiro vai para pagar despesas de outras secretarias, como a de Esportes, a de Obras e a dos Direitos Humanos.

A verba de R$ 1,8 bilhão prevista com subsídio para este ano acabou neste mês de agosto. A expectativa é de que o gasto com subsídio tarifário chegue a R$ 3 bilhões neste ano. Isso significa que será preciso remanejar mais R$ 1 bilhão para cobrir o rombo do sistema de transporte municipal.

O prefeito de SP João Doria afirmou que o investimento no setor será feito por recursos privados: “por isso que estamos aprovando na Câmara municipal o programa de desestatização. São várias a intervenções nas áreas do transporte”.

No mês passado a Prefeitura já tinha tirado R$ 70 milhões dos corredores e R$ 62 milhões que seriam investidos em terminais de ônibus

Em 2017, os cortes no setor de transporte, incluindo em terminais, passam de R$ 160 milhões.

*Informações do repórter Victor Moraes