Doria diz que recebeu ‘herança maldita’ de França e cita ‘irresponsabilidade’ de antecessor

  • Por Jovem Pan
  • 04/01/2019 10h37
Suamy Beydoun/Estadão ConteúdoQuestionado se seria uma herança maldita da gestão anterior e se existiam outros pontos deixados para seu governo, Doria não poupou críticas

A tarifa do transporte público em São Paulo foi reajustada de R$ 4 para R$ 4,30. Os anúncios foram feito nos últimos dias pelas administrações municipal e estadual. O habitual era o anúncio conjunto do aumento das passagens com governador e prefeito, mas isso não ocorreu.

A Prefeitura anunciou o reajuste e dias depois, apenas com a posse do governador João Doria, é que as passagens de Metrô e CPTM também tiveram aumentos explicitados.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, Doria explicou o ocorrido e creditou ao ex-governador Márcio França: “é uma herança. Ele não teve coragem. Foi falado em R$ 4,25 e foi R$ 4,30. Assumimos essa responsabilidade, anunciamos a tarifa e ela foi apenas atualizada em 7,5% pelo IGP-M”.

Questionado se seria uma herança maldita da gestão anterior e se existiam outros pontos deixados para seu governo, Doria não poupou críticas. “Herança bendita não. Maldita. Mas não quero transformar isso em estigma político. Na primeira reunião que fizemos, o secretário da Educação, Rossieli Soares, fez levantamento dos temas da pasta e o Márcio França não fez a compra do material dentro do prazo. Ele colocou isso com clareza para que as pessoas tenham a informação com clareza. Vai atrasar a entrega de materiais por conta da irresponsabilidade de Márcio França”, atacou.

O secretário da Fazenda do Estado, Henrique Meirelles, também fará um levantamento e na próxima semana falará a respeito, segundo informou Doria. “Não quero transformar isso em briga política, mas em registros de fato. A herança é maldita”.

Confira a entrevista completa com o governador de SP, João Doria: