Doria diz que reunião com Bolsonaro em Brasília já tratou de pautas de trabalho: ‘Não foi apenas de cortesia’

  • Por Jovem Pan
  • 08/11/2018 08h39 - Atualizado em 08/11/2018 08h58
Renato S. Cerqueira/Estadão ConteúdoO governador eleito destacou ainda a conversa que teve com deputados e senadores de seu partido

O governador eleito em São Paulo, João Doria (PSDB), esteve nesta quarta-feira (07) em Brasília onde realizou encontros com o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) e parlamentares do PSDB.

Segundo o tucano, em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, a visita a Bolsonaro não foi de cortesia apenas para cumprimentá-lo pela eleição, mas sim discussão de pauta de trabalho, com a participação, inclusive, de futuros ministros do próximo Governo.

“Colocamos aspectos importantes na pauta. Como a importância de termos um Governo que comece com governabilidade para ter uma gestão serena e equilibrada, boas propostas econômicas que gerem empregos, renda e diminuam a pobreza e miséria e estabilidade política para que investidores destravem investimentos”, disse Doria.

Outro assunto abordado durante a reunião com Bolsonaro foi a desburocratização no Governo para garantir atendimento em áreas essenciais como saúde. Outra proposta abordada foi a do pacto federativo, que será apresentada no dia 14 de novembro pelo futuro ministro da superpasta econômica, Paulo Guedes.

Relação com Governo Federal

Doria reforçou que é preciso torcer pelo bem do Brasil e não pelo mal, como gostam de fazer “o PT, PDT, os partidos comunista e socialista”.

Para ele, que pregou o voto BolsoDoria durante a campanha, a sua proximidade com o PSL de Bolsonaro pode facilitar na aprovação de projetos. “Os demais partidos, de centro como PSDB, que têm visão responsável em relação ao Brasil… estou seguro de que teremos posição sem contrapartida de cargos. Eu vejo de maneira otimista. Isso pode gerar rápido crescimento econômico com destravamento de investimentos”, destacou.

Conversa com tucanos

O governador eleito destacou ainda a conversa que teve com deputados e senadores de seu partido. “Neste grupo estavam os deputados que cumprem fim de mandato, os reeleitos e os novos eleitos nos Estados pela nossa legenda. E senti majoritariamente o interesse e participação para que possamos ter sentimento de que precisa apostar no Brasil. Para isso não precisa ter cargo, ministério, apenas consciência do que é bom para o Brasil”, afirmou.

Um posicionamento firme do partido também foi cobrado por Doria na reunião com congressistas. “Mencionei também que o tempo do PSDB no muro acabou, pelo menos em São Paulo acabou. Eu não advogo muro. Eu quero o bem do Brasil, das pessoas”, completou.

Questionado se sua posição de querer tirar o PSDB do muro foi aceita pelos parlamentares, Doria mostrou orgulho: “os aplausos representaram a adesão, se não por unanimidade por ampla maioria. Todos entendem que PSDB precisa sair do elevador e ir pro chão de fábrica. PSDB precisa aprender lição das eleições. Tem que estar sintonizado com o Brasil de hoje, é PSDB nas ruas, no chão de fábrica, junto ao homem do campo, aos mais humildes. É essa sintonia que precisa retomar. E é essa sintonia que o presidente eleito conseguiu. Ter humildade para reconhecer erro é sinal de sabedoria e não de fraqueza”, finalizou.

Confira a entrevista completa com o governador eleito de SP, João Doria: