Doria e Covas assinam termo para concessão das marginais Tietê e Pinheiros à iniciativa privada

  • Por Jovem Pan
  • 28/02/2019 07h22
Paulo Guereta/Estadão ConteúdoA despoluição dos Rios Pinheiros e Tietê ficará de fora; para este tema específico será apresentado no mês de março um projeto separado

O governador de São Paulo, João Doria, e o prefeito da capital paulista, Bruno Covas, assinaram um termo de chamamento público para conceder as marginais Pinheiros e Tietê à iniciativa privada. No plano, também foi incluída parte da Rodovia Raposo Tavares.

A concessão será de 30 anos e terá um investimento previsto de R$ 3 bilhões. A gestão ainda não detalha as contrapartidas ao vencedor da concorrência, mas descarta a cobrança de pedágio.

Receitas acessórias podem ser agregadas, a fim de minimizar o percentual de verba pública. Segundo Bruno Covas, publicidade é um dos itens cogitados, desde que se enquadre à legislação.

As empresas interessadas terão cinco meses para apresentar os estudos. A partir daí será feita análise para a publicação do edital definitivo. A expectativa é que possa ser colocado em prática já no início de 2020.

As obras vão englobar, além da sinalização das marginais, asfaltamento, segurança, monitoramento eletrônico, paisagismo e manutenção das vias, por onde passam diariamente 3 milhões de pessoas.

A despoluição dos Rios Pinheiros e Tietê ficará de fora; para este tema específico será apresentado no mês de março um projeto separado.

*Informações do repórter Daniel Lian