Doria minimiza baixo número de projetos enviados ao Legislativo: “não há razão para perplexidade”

  • Por Jovem Pan
  • 24/08/2017 08h06 - Atualizado em 24/08/2017 11h51
João Doria afirmou que a cidade de São Paulo tem um bom legislativo e que, por isso, não precisa ficar enviando propostas

Doria minimiza baixo número de projetos enviados do Executivo para a Câmara dos Vereadores e diz que a cidade tem um bom legislativo. O prefeito de São Paulo deu a declaração no fim da manhã desta quarta-feira (23), pouco antes de decolar para o Espírito Santo.

Levantamento feito pelo site UOL indicou que João Doria é o prefeito com menos projetos enviados à Câmara em 32 anos. Até o dia 08 de agosto, o tucano havia encaminhado apenas dez textos para a apreciação dos vereadores. Entre eles estão três projetos relacionados ao Plano Municipal de Desestatização, uma das principais promessas de campanha do prefeito.

João Doria afirmou que a cidade de São Paulo tem um bom legislativo e que, por isso, não precisa ficar enviando propostas: “não há nenhuma razão de perplexidade diante disso. Se você tem um bom legislativo cabe a eles a execução de projetos de lei. Não cabe ao Executivo ficar mandando projetos em larga quantidade”.

O líder do PT na Câmara não concordou que esse baixo número de propostas encaminhadas se deva ao desempenho do Legislativo.

Na semana passada, a Câmara retirou da pauta a segunda votação da concessão do estádio do Pacaembu à iniciativa privada.

O projeto já foi aprovado em primeira discussão, mas a Prefeitura precisa enviar um novo texto considerando os pontos levantados pelos parlamentares.

O líder do PT, vereador Antônio Donato, afirmou que há uma dificuldade do Executivo em apresentar projetos bem elaborados que tramitem sem problemas na Casa: “neste caso se votou em primeira, mas até agora o governo não apresentou substitutivo a esse projeto”.

O líder do PSD na Câmara disse, por outro lado, que não importa a quantidade de projetos que seja encaminhada pelo prefeito ao Legislativo.

Para o vereador José Police Neto, é mais relevante saber qual é o resultado da tramitação das propostas: “o que a gente precisa garantir agora é que os projetos saiam da Câmara”.
O vereador Mário Covas Neto, do PSDB, chamou a atenção para o fato de que, mesmo em pequeno número, as propostas apresentadas pela gestão Dória são importantes.

O tucano afirma que a maior parte delas diz respeito ao plano de desestatização, que preveem mudanças importantes na cidade: “apesar de serem poucas iniciativas, elas dizem respeito a uma grande transformação na cidade, que é a coisa da desestatização”.

O líder do PSOL na Câmara criticou o fato de que a maioria dos projetos enviados por Doria à Câmara estejam ligados somente ao programa de desestatizações.

O vereador Toninho Vespoli afirmou que isso demonstra uma falta de atenção para outras áreas que precisam ser atendidas na relação entre Executivo e Legislativo: “qual que é o projeto que ele tem para cada pasta? A falta de ele mandar projetos para a Câmara Municipal evidencia que ele não tem projetos para a cidade de São Paulo”.

O levantamento feito pelo UOL apontou ainda que Fernando Haddad enviou 25 projetos à Câmara no mesmo período em que Doria mandou dez textos.

Nos últimos 32 anos, a gestão Paulo Maluf foi a que encaminhou o maior número de propostas: 86.

*Informações do repórter Tiago Muniz