Doria quer reavaliar projeto de Márcio França que obrigava CPTM a ressarcir usuários por falhas

O texto dizia que esses ressarcimentos deveriam ser realizados em casos de “ocorrências notáveis”

  • Por Jovem Pan
  • 23/04/2019 07h20
Reprodução/CPTMO pedido foi oficializado em mensagem do atual chefe do executivo, João Doria, ao presidente da Alesp, deputado Cauê Macris

O governo de São Paulo quer que a Assembleia Legislativa devolva um projeto da gestão Márcio França que determinava o pagamento de cinco bilhetes e até de viagem de táxi aos passageiros em caso de falha na CPTM.

O pedido foi oficializado em mensagem do atual chefe do executivo, João Doria, ao presidente da Alesp, deputado Cauê Macris, enviada na quinta-feira (18).

Durante o período de quase nove meses em que ficou a frente do Palácio dos Bandeirantes, o socialista declarou mais de uma vez que o Estado deveria ressarcir o usuário se ocorressem problemas nos trens.

O projeto encaminhado por França determinava que a CPTM deveria dar ao passageiro cinco bilhetes nesses casos. Um outro artigo dizia também que deveria ser “disponibilizado um meio alternativo de complementação à viagem contratada ao usuário atingido pela paralisação do serviço.”

O texto dizia que esses ressarcimentos deveriam ser realizados em casos de “ocorrências notáveis.”

Agora, a gestão Doria quer reexaminar o projeto, que poderia ter um impacto considerável nas contas do Governo.

No caso de uma falha que afetasse 100 mil pessoas, e cada uma delas recebesse cinco bilhetes, o desembolso da CPTM seria da ordem de dois milhões e cento e cinquenta mil reais.

*Informações do repórter Tiago Muniz