Doria recebe francês excluído de agenda com presidente e diz que não ‘torce por tropeço de Bolsonaro’

  • Por Jovem Pan
  • 31/07/2019 07h02
Flickr/Governo do Estado de São PauloMinistro elogiou compromisso de São Paulo com o Acordo Climático de Paris

Após ter encontro cancelado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), o ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian, foi recebido pelo governador de São Paulo, João Doria. O chanceler esteve, nesta terça-feira (30), no Palácio dos Bandeirantes, onde discutiu políticas e medidas relacionadas a investimentos, desestatização e meio ambiente.

O francês fez questão de reafirmar a importância da questão ambiental para a relação entre os dois países e declarou que escolheu o Estado e a cidade de São Paulo para encerrar a viagem ao Brasil pelo compromisso de ambas com o Acordo Climático de Paris.

Doria não quis comentar sobre o cancelamento do encontro do chanceler com Bolsonaro, mas voltou a destacar que a fala sobre a morte de Fernando Santa Cruz, pai do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, durante o regime militar, foi “infeliz”.

Apesar disso, o tucano ressaltou que não torce pelo tropeço do presidente. “O Brasil precisa de paz, precisa de equilíbrio, precisa de entendimento. Um clima de confronto permanente não ajuda o país. Não ajuda a crescer, não ajuda o Brasil a aprovar as reformas, seja a da Previdência, que ainda está em tramitação no Congresso Nacional, não ajuda a evoluir a tributária, que atualmente começa a ser debatida na volta do recesso no âmbito da Câmara dos Deputados e depois no Senado Federal, e não ajuda os brasileiros, que precisam de emprego e oportunidade.”, disse.

O governador reiterou que não tem intenções de fazer confronto com o presidente, com quem garante manter boa relação. Ele afirma, porém, que apesar da postura de apoio às medidas econômicas, o PSDB tem liberdade para ter uma “posição crítica” quanto ao governo.

*Com informações do repórter Matheus Meirelles