Doria relança programa habitacional para idosos de baixa renda

  • Por Jovem Pan
  • 02/10/2019 07h02 - Atualizado em 02/10/2019 10h39
Flickr/Governo do Estado de São PauloNa primeira fase do programa, seis cidades do interior vão ganhar os condomínios, que podem ter até 28 unidades

Idosos que vivem sozinhos em situação de vulnerabilidade poderão ter um lar custeado pelo estado de São Paulo. O governador João Doria anunciou nesta terça-feira (1º), Dia do Idoso, o projeto Vida Longa, desenvolvido em parceria com as secretarias estaduais de Habitação e de Desenvolvimento Social.

O programa foi inspirado no antigo Vila Dignidade, lançado em 2009 pelo então governador José Serra.

As casas terão 28m². O espaço comum terá pista de caminhada, churrasqueira com forno à lenha e áreas de lazer. Constam no projeto também itens de acessibilidade.

De acordo com João Doria, o objetivo é garantir a segurança dos mais velhos e estimular a socialização. “Adaptados também no âmbito da sua arquitetura para facilitar acessibilidade, evitar acidentes e oferecer um convívio adequado entre as pessoas da maior idade. Inclusive com equipamentos eletrônicos já entregues, como: forno de microondas, fogão, interfone, chuveiro elétrico e geladeira nova. Tudo isso dentro de cada unidade habitacional.”

São previstas 50 unidades até 2022. De acordo com o secretário de Habitação do Estado, Flávio Amary, as obras das 6 primeiras unidades devem começar em até 60 dias.

“Um conjunto de até 28 unidades para atender idosos de mais de 60 dias com renda de até dois salários que tenham condições de saúde, mas também tenham vulnerabilidade social. Esse é o conceito do programa.”

Na primeira fase do programa, seis cidades do interior vão ganhar os condomínios, que podem ter até 28 unidades. São elas: Bauru, Barretos, Bragança Paulista, São José do Rio Pardo, Santa Bárbara d’Oeste e São Roque.

Os municípios vão doar os terrenos e farão a manutenção dos empreendimentos. As prefeituras também serão responsáveis pela seleção dos idosos beneficiados.

Como requisito, as pessoas precisam ter mais de 60 e não podem ter renda superior a dois salários mínimos.

Nesta terça-feira também foram anunciados novos centros para essa faixa etária. Até o final de 2021, serão entregues 36 novos Centros de Convivência do Idoso e 9 Centros Dia do Idoso.

*Com informações da repórter Marcella Lourenzetto