E-commerce registra perda de R$ 407 mi com paralisação de caminhoneiros

  • Por Jovem Pan
  • 05/06/2018 06h29 - Atualizado em 05/06/2018 06h29
PixabayDurante os 11 dias de paralisação, o e-commerce brasileiro registrou uma queda de 20% nos negócios, uma perda de 861 mil pedidos

Comércio eletrônico deixa de faturar R$ 407 milhões durante a manifestação dos caminhoneiros. A Associação Comercial de São Paulo também divulga balanço de maio com queda sensível nas vendas em lojas físicas.

Durante os 11 dias de paralisação, o e-commerce brasileiro registrou uma queda de 20% nos negócios, uma perda de 861 mil pedidos.

O diretor de Relações Institucionais da EBIT, Pedro Guasti, analisou as perdas ocasionadas pelo receio dos consumidores: “faturamento de maio em relação ao ano ´passado fosse superior a 10% sendo que até o meio do mês de maio a expectativa era de crescimento de 20%. O impacto foi grande, fazendo com que o e-commerce crescesse metade do esperado”.

O comércio eletrônico esperava atingir R$ 4,5 bilhões, mas chegou a R$ 4,170 bilhões em maio, sobretudo em perdas nos itens de alto valor.

O economista da Associação Comercial de São Paulo, Marcelo Solimeo, também destacou que as lojas ficaram vazias pelas dificuldades dos clientes: “na segunda quinzena as vendas desabaram, principalmente a de bens de maior valor”.

Os impactos somente não foram mais sensíveis porque o Dia das Mães foi comemorado na primeira quinzena de maio. Os setores mais atingidos pelo desabastecimento são o de combustíveis e supermercados, mas o consumidor percebe também, que pagará essa conta.

*Informações do repórter Marcelo Mattos